1.3 Encontro com Pedro Bacéu

João Miguel saiu pela porta traseira directamente para a horta. Banhou-o um forte aroma a flores e um cheiro a madeira numa mistura pouco familiar.

Apressou o seu passo e tentou encontrar Pedro Bacéu, amigo de há longa data de Carlos Maria, seu amigo de infância.

Encontrou-o perto do estábulo, a limpar o chão.

  • Bom dia, Sr. Pedro.
  • Viva! Como se sente? Trate-me por Pedro, é o meu nome.
  • Bem! Por onde posso começar? – respondeu de rompante. Não era verdade. O corpo doía-lhe e a cabeça não parecia a sua, estava oca.
  • Calma, homem. À tarde vamos dar uma volta para se ambientar com as áreas do terreno. Ainda são uns quantos hectares… Agora tenho de acabar a limpeza aqui. Vemo-nos ao almoço. Até lá, aproveite para arrumações ou para tomar um banho. Tem um ar exausto.
  • Obrigado. De facto um banho é uma boa ideia!
  • Bom, até já. E prosseguiu com o trabalho. Esperemos que este convite de amigo tenha sido uma boa ideia, pensou.