6.2 Kate Sheen

Kate Sheen era conhecida pelo seu bom gosto e o seu tato em escolher sempre a peça de vestuário adequada para todas as ocasiões, quer se tratasse de um encontro social, profissional ou mesmo simplesmente, de um jantar romântico.

Robert Middletune tinha efetuado reserva para o jantar de ambos nessa noite num dos seus restaurantes favoritos em plena downtown, um extremamente badalado, o que constituía um bom augúrio para o final do dia de sexta-feira e início de um fim-de-semana.

Kate Sheen chegou primeiro. Mostrou o seu maravilhoso sorriso ao funcionário da receção que a reconheceu e saudou, ao mesmo tempo que fazia uma pausa no atendimento de um casal jovem, a quem tentava explicar que as salas estavam cheias e que seria impossível tomar ali a refeição.

Kate foi conduzida a uma mesa muito próxima da janela, sob a faixa lateral esquerda da sala principal.

Naquela noite ela estava absolutamente deslumbrante. A sua escolha tinha recaído num vestido curto mas rodado, em azul céu, que contrastava com o tom de bronzeado castanho dourado da sua pele e com o seu cabelo louro. O crepe caía lindamente, marcando a silhoueta esbelta de Kate, a confeção era impecável e os pormenores de debruo em conjugação com o tamanho da saia impregnava-a de um ar muito feminino e jovial. Se o seu cabelo estivesse solto pareceria ainda mais teen, totalmente preso seria muito formal para a indumentária e assim, Miss Sheen tinha adotado um estilo de penteado arrojado, um meio solto, meio preso, assimétrico. Os brincos com um pendente ligeiro, também em azul exatamente da mesma cor dos sapatos e uma pequena bolsa branco-pérola completavam o conjunto.

Mesmo estando sentada numa mesa localizada fora do ângulo central da sala era impossível para qualquer outro cliente que entrasse, não reparar nela.

Robert Middletune chegou uns bons dez minutos mais tarde e ao entrar, abanou a cabeça para um dos lados na direção de Kate em sinal de aprovação.

  • Olá! Estás linda!
  • Obrigada! Assim desculpo o atraso! – respondeu Kate.
  • Ah, não a sério. Olha devo dizer-te que me apetece celebrar. Tive um dia soberbo.
  • Que bom! O meu foi também excelente.
  • Celebramos?!
  • O quê? Ao dia, tonto?
  • À vida, ao final da semana…
  • Alinho – interrompeu Kate. É uma boa ideia!